AVC: Sintomas, Tratamentos e Causas

AVC é a sigla para se referir ao Acidente Vascular Cerebral, que se trata de um dano causado a uma parte do cérebro e que surge a partir da interrupção sanguínea. Diferentemente do que muitas pessoas pensam, o AVC pode afetar os mais jovens, embora a incidência seja maior em pessoas de idade mais elevada. É difícil prever quando o AVC virá, e ele surge de forma repentina. Neste artigo, você vai descobrir os sintomas, os tratamentos e as causas desse problema de saúde.

 AVC

AVC

Causas

Existem dois tipos de AVC, o isquêmico e o hemorrágico. É por meio das causas que se consegue diferenciar a origem do Acidente Vascular Cerebral. O AVC isquêmico acontece quando uma artéria é obstruída, o que ocasiona o impedimento do fluxo sanguíneo até uma parte do cérebro. Se a pessoa não receber ajuda logo, ocorre o chamado infarto cerebral. A obstrução pode ser causada por uma trombose — coágulo que se desenvolve em um vaso sanguíneo cerebral — ou por uma embolia — quando o coágulo se desenvolve em outra parte do corpo e é bombeado pelo coração até que bloqueia um vaso sanguíneo.

Existe também o caso do AVC hemorrágico, que é quando há uma ruptura de um vaso sanguíneo que causa uma hemorragia no cérebro, o que faz com que ele fique sem oxigênio. A ruptura do vaso sanguíneo pode acontecer dentro do cérebro ou em sua superfície. Se ocorre dentro, é provável que seja a hipertensão da artéria, que se rasga e é a causa da hemorragia. Se ocorre na superfície do cérebro, pode ser aneurisma ou por um golpe ou queda que produz traumatismo craniano. O AVC hemorrágico geralmente leva a problemas mais graves que o outro tipo.

Sintomas

Entre os sintomas do AVC, pode ser notado:

·         Perda de força de um braço ou de uma perna do mesmo lado;

·         Problemas para se comunicar. Note se a pessoa está falando com dificuldade e parece não entender as coisas;

·         Perda de sensibilidade no rosto. Note se um lado do rosto tem expressão e o outro está imóvel;

·         Visão turva ou perda da visão;

·         Perda de memória;

·         Comportamento acelerado;

·         Comportamento retardado.

Para um diagnóstico rápido, você pode pedir para a pessoa sorrir, para ver se não há paralisia em um lado do rosto, pode pedir para ela descrever um objeto e levantar os braços e as pernas.

Tratamento

O AVC tem tratamento. Quando uma pessoa sofre um AVC e é atendida rapidamente no hospital, ela tem mais chances de sobreviver e ter menos sequelas. Se o paciente sobreviver e ficar com sequelas, o tratamento e o tempo de recuperação vão variar de caso a caso. Além disso, vai depender de muitos fatores, como a extensão do AVC, a idade do paciente — os que têm idade mais avançada têm mais risco —, as condições de saúde gerais do paciente, a necessidade de realizar fisioterapia e fonoaudiologia, o apoio psicológico e familiar após o AVC e os cuidados de enfermagem necessários.

Com o acompanhamento certo, o paciente deve recuperar entre seis meses e um ano, tempo médio. Claro que, como já dito anteriormente, isso varia de caso a caso. Há situações onde o acompanhamento e tratamento deverão ser muito prolongados.

Há possíveis complicações que podem prolongar o tempo de recuperação, como os casos em que as sequelas afetam a visão — podendo causar agnosia visual, que é a dificuldade em reconhecer os objetos e as pessoas —, o déficit motor e o déficit sensitivo. Há também, além de outras coisas, a possibilidade de o paciente adquirir depressão e de sofrer de TEPT, o Transtorno de Estresse Pós-Traumático, que pode se manifestar em forma de pesadelos e na relutância do paciente, de modo que ele busca evitar lembrar do que aconteceu.

 Espero que este artigo tenha lhe ajudado. Obrigado e até mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *