Importância da vitamina D para os bebês

Durante os primeiros dias de vida do recém-nascido, diversos cuidados específicos devem ser aplicados para que o bom desenvolvimento do bebê possa ocorrer plenamente. Já se tem conhecimento acerca da importância do aleitamento materno e seus benefícios para a criança, inclusive o leite materno é por si só, o alimento indicado até os seis meses de vida do bebê.

bebe no sol

Mas você sabia que somente com o aleitamento não são supridas as quantidades ideais de vitamina D para o recém-nascido? Sim o leite materno é completo e fornece essa vitamina para o bebê, porém a dosagem não é a suficiente para que a criança seja nutrida durante os primeiros 180 dias de vida.

Devido a essa insuficiência é que pediatras prescrevem suplemento alimentar de vitamina D, como meio de complementação a alimentação materna.

Veja agora por qual razão esta vitamina é tão importante para o desenvolvimento de seu filho e de que forma é feita essa suplementação.

O que é a vitamina D e de que forma é feita a absorção?

Também conhecida como a “vitamina do sol”, nome este que tem origem da sua absorção ser feita pelo organismo humano, por meio da exposição ao sol. A vitamina do sol é absorvida no corpo humano, por meio dos raios UVB Ultravioleta B, os quais agem como auxiliadores no estímulo desta vitamina. 

A vitamina D é primordial para a formação óssea e dentária, sendo assim quando existe um déficit, o organismo pode vir a sofrer alterações drásticas, inclusive podendo chegar à ocorrência de algumas patologias como: descalcificação dos ossos e raquitismo. 

Além de tornar essa criança frágil ao longo da vida adulta, a falta de vitamina D pode ocasionar eventos repetitivos de fraturas e deformação nos ossos.

Para o recém-nascido a suplementação de vitamina D é essencial, haja vista que o leite materno fornece a vitamina, porém em baixas concentrações, estas que são insuficientes para suprir a dosagem recomendada. A suplementação deverá ser feita com a indicação médica, podendo inclusive ser prolongada por vários anos, a depender do caso. 

O aumento da dosagem poderá ser feito de acordo com o desenvolvimento da criança, observando sua estatura e peso corpóreo, geralmente os pediatras indicam que seja administrada ao recém-nascido lactente a aplicação em torno de 1 a 2 gotas de suplemento diário, podendo ser alterada esta dosagem no período de inverno, onde ocorre menor incidência solar.

O suplemento de vitamina D pode ser adicionado na papinha ou no próprio leite materno, no caso utilizando a mamadeira. Pois dessa forma é possível que seja garantida a ingestão por completo do suplemento.

bebe alegre

Sabemos, portanto que o déficit de vitamina D é prejudicial á saúde das crianças, do mesmo modo que o excesso da dosagem também pode causar danos para os bebês. De acordo com a recomendação da OMS Organização Mundial de Saúde, o indicado é que sejam ministradas 400 (IU’s) unidades internacionais para bebês até o primeiro ano de vida, já para o segundo ano de vida, é indicado que seja administrada a dosagem de 600 IU’s.

O excesso de dosagem de vitamina D pode levar ao aumento nos níveis de toxinas no organismo, pois o mesmo se fixa nas células de gordura e em seguida são liberados para o sistema sanguíneo, o qual irá “espalhar” essa toxina pelo corpo. Para que ocorra a regulagem das altas taxas de toxina é demandando um período longo de desintoxicação.

Ao longo do tempo o pediatra solicitará análises sanguíneas, para que sejam observados os níveis de vitamina D presentes no organismo, somente após esse exame é que são feitas alterações de dosagem.

Como fazer suplementação de vitamina D por meio da alimentação?

A suplementação de vitamina D também pode ser feita por meio da alimentação, veja agora quais alimentos são fonte essencial dessa vitamina e quais os benefícios de seu consumo.

  • O leite fornece além do cálcio a vitamina D, ele é um forte aliado no desenvolvimento de ossos e dentes

  • Fígado, 

  • Peixes, 

  • Frutos do mar 

  • Queijos

Para a criança é indicado fornecer alimentos ricos em vitamina D como:

  • Iogurte, 

  • Suco de laranja,  

  • Leite, 

  • Cereais 

  • Queijos.

Outras fontes de vitamina D

Como já foi mencionado anteriormente, por meio do recebimento de luz solar diariamente é possível estimular a produção de vitamina D no organismo, porém para os bebês não é indicada a exposição à luz solar nos primeiros 06 meses de vida, portanto o ideal a se fazer é proteger bem a criança com o uso de roupas com proteção solar adequada, assim como também utilizar chapéus e demais vestimentas com  fator de fotoproteção. 

Não esquecendo que o banho de sol recomendado pelos pediatras é muito importante para o bebê e deve ser dado com vidros ou janelas abertos.

Conhece os tipos de choro do bebê? Esse artigo é indicado para você. Choro de bebê. Por que os bebê choram?

Para auxiliar nessa suplementação o próprio médico pediatra irá fazer a prescrição, e o SUS Sistema Único de Saúde disponibiliza em sua rede pública a vitamina D gratuitamente para as mamães ministrarem no bebê. 

Caso queiram comprar essa suplementação, também é possível encontrar na rede farmacêutica de todo o país na forma líquida e em cápsulas.

Outro ponto muito importante a se destacar é que na ocorrência de baixos índices de vitamina D durante os primeiros seis meses de vida, existe uma possibilidade alta de ocorrer infecção pulmonar durante este período, haja vista que a vitamina age como uma barreira protetora no sistema respiratório do recém-nascido.

Especificamente a vitamina D combate o vírus RSV o principal responsável pelas infecções pulmonares em RN’s (recém-nascidos), portanto é recomendável que as mamães iniciem a suplementação da vitamina ainda no período gestacional.

Começando a ingestão da vitamina durante a gravidez é possível prevenir que os bebês venham a sofrer, além do enfraquecimento ósseo e dentário, também de doenças como diabetes, asma e esclerose múltipla.

Para que a gestante consiga aumentar os níveis de vitamina D no organismo, além da alimentação direcionada é indicado que fique exposta ao sol, por pelo menos 20 minutos diários. Dessa forma é possível prevenir diversas doenças para a mamãe e também para o bebê.

 

Gostou do artigo? Compartilhe e informe para o máximo de pessoas possíveis esse texto que é de muita importância para as mamães e bebês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *